Publicidade
Tribuna do Agreste
Busca
Área de Login
Usuário:
Senha:
Rádio Cacique FM - hora

00:00

Agenda Cultural

Enquete

O que você acha da atuação do governo de Alagoas na área de segurança pública em Arapiraca?







Classificados

parcialmente nublado17ºC em Maceió parcialmente nublado17ºC em Marechal Deodoro parcialmente nublado21ºC em Penedo parcialmente nublado17ºC em Arapiraca parcialmente nublado17ºC em Palmeira dos Índios
01 de agosto de 2014
Notícias
Atualidade
Pleno do TJ decidiu que réus serão julgados em uma das Varas do Tribunal do Júri da Capital

Caso Grilo: Acusados de assassinato em Palmeira dos Índios serão julgados em Maceió

Tribunal de Justiça determina desaforamento de processo.Josivaldo Sembém e José Sembém são acusados de matar o empresário Jair Gomes de Oliveira

31 de Outubro de 2012

O Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), transferiu, nesta terça-feira (30), à unanimidade de votos, o julgamento de Josivaldo Rosendo Sembém e de José Rosendo Sembém, acusados de assassinar, no centro da cidade de Palmeira dos Índios, em Alagoas, o empresário Jair Gomes de Oliveira, conhecido como Grilo.

Segundo o relator do processo, desembargador Edivaldo Bandeira Rios, apesar do acusado intelectual, Fernando Medeiros, não fazer mais parte do processo, é nítida a possibilidade de influência política que este processo possa sofrer em virtude da relação existente entre os dois processos em questão. “Por medida proporcional e razoável, para garantir a imparcialidade do júri, sendo adequado ao fim de pacificação social buscado pela ciência processual o desaforamento do julgamento se mostra medida mais adequada ao caso em tela”, destacou o relator.
A defesa lutou pela manutenção da competência do tribunal do júri de Palmeira dos Índios, alegando inidoneidade da fundamentação apresentada pelo magistrado para o desaforamento.
“Por ser medida proporcional e razoável, para garantir a imparcialidade do júri, sendo adequado ao fim de pacificação social buscado pela ciência processual o desaforamento do julgamento se mostra medida mais adequada ao caso em tela”, justificou Bandeira Rios, determinando, ainda, que o julgamento pelo tribunal do júri dos acusados seja realizado em uma das Varas do Tribunal do Júri da Comarca de Maceió, pois somente nessa comarca inexistirão os motivos ensejadores da medida.

Comentários

Edmilson Júnior

Cadeia nesses assassinos .. o juri tem que ser popular pena maxima

01 de Novembro de 2012

Publicidade

Ministério Público

© 2014. Todos os direitos reservados a Tribuna do Agreste. Se você não lê, de onde virá seu saber? id5 soluções web