;

NOTÍCIAS

In:

Modus vivendi dos milionários Norte-americanos

Por Laurentino Veiga

    “Os milionários típicos têm um patrimônio líquido médio de US$ 1,6 milhão e vive com uma renda anual equivalente a menos de 7% da riqueza que possuem; média de idade: 57 anos; 1/5 deles estão aposentados; 2/3 dos que estão trabalhando são donos do próprio negócio; seus negócios são, geralmente, rotulados de “comuns” ou “tediosos”; acumulam o suficiente para poder viver dez anos ou mais sem trabalhar; 80% deles nunca receberam herança; têm 6,5 vezes a renda dos vizinhos em bairros de classe média, onde normalmente vivem; moram em casas que valem, em média, US$ 320 mil; não compram casas cuja hipoteca seja mais que o dobro da renda familiar anual bruta; metade das esposas dos milionários não trabalham fora; a maioria delas controla o orçamento doméstico, sabendo exatamente, quanto a família gasta por ano em alimentação, roupas e moradia; apenas um em cada cinco deles não se formou em universidade; gastam altas quantia na educação dos filhos que, em geral, são independentes; anualmente, investem cerca de 20% da     renda bruta; e têm 20% da riqueza total investida em ações; tomam suas próprias decisões sobre onde aplicar o dinheiro”.

PROFESSOR

Fernando Nogueira da Costa, através de sua livro Economia e  10 lições, oferece dicas que ajudam à compreensão das Ciências Econômicas e, portanto, nesta coluna são identificadas a fim de divulgar seu conhecimento científico.
Segundo ele, a causa da insuficiência dinâmica do desenvolvimento latino/americano, de acordo com a CEPAL, era devido à deterioração das relações de troca entre centro e periferia. A relação de preços entre produtos industrializados e primários evoluía de forma totalmente desfavorável para estes últimos.

ECONOMIA

Por ser uma ciência social, normalmente, trata de desenvolvimento e crescimento econômico, inflação, nível geral dos preços, déficit primário, balanço de pagamentos e outros assuntos de relevo à população. Dessa  forma, o livro em apreço é de grande valia aos leigos às Ciências Econômicas.

DETERMINANTES

Da taxa natural de desemprego são: fatores demográficos, existência de salário mínimo, realocação setorial de mão-de-obra, seguro/desemprego, poder dos sindicatos, nível de centralização da negociação salarial, nível de tributação sobre salários e histerese no desemprego: efeito por meio do qual períodos prolongados de alto emprego tendem a elevar o valor de sua taxa natural.

O DECÁLOGO DO CAPITALISTA

Amar o capital sobre todas as coisas; não invocar o poder do capital, teu Deus, em apoio não/lucrativo; “ Trabalharás durante seis dias, e neles farás todas as tuas obras; mas, no sétimo dia, que é o sábado do Senhor, teu Deus, não farás trabalho algum: tu,o teu filho ou tua filha, o teu escravo, macho ou fêmea, o teu boi, o teu jumento ou qualquer outro dos teus animais, o estrangeiro que está dentro das tuas portas, para que o teu servo e a tua serva descansem como tu” Deuterônimo  – 5); honrai teu mercado e tua aplicação; não matarás teu cliente; não comentarás conluio com teu concorrente; não furtarás teu sócio; não levantarás propaganda enganosa contra teu consumidor; não cobiçarás o mercado do próximo; não cobiçarás as propriedades alheias.

ESQUERDA

São as pessoas que se interessam pela eliminação das desigualdades sociais. Enquanto a DIREITA insiste na convicção de que as desigualdades são naturais e,  enquanto tal, não elimináveis.
Por outro lado, o professor Fernando Nogueira define a esquerda econômica: prioriza a proteção contra a competição social. Na escolha entre a competitividade e a sociedade, prioriza esta última. Direita econômica confia que as desigualdades sociais possam ser diminuídas à medida que se favoreça a competitividade geral; minimiza o esforço individual.
Tenho a certeza que essas informações serão úteis aos poucos leitores desta Coluna. E, por isso, sinto-me à vontade de ajudar àqueles interessados na Economia como um todo. Desse modo, como professor de Análise Econômica/Cesmac, tenho o prazer de colaborar no assunto. Ademais, vejo como uma formar de lecionar a ciência severa da escassez de maneira prática, e, sobretudo, voltada às exigências do mercado globalizado. Na próxima Coluna, voltarei a escrever textos voltados a informar sobre assuntos diversos e, principalmente, nas áreas que costumo a escrever. Vale salientar  que, normalmente, conto com o apoio de meu filhão Francis Lawrence.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com