;

NOTÍCIAS

In:

Presídios paulistas: relatos selvagens

Por Luiz Flávio Gomes

A prisão é um fracasso ou um sucesso? Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. O senso comum diz que é um fracasso (porque pensa na utópica ressocialização do preso). Foucault, ao contrário, dizia que a prisão, como instrumento de dominação, faz um sucesso incrível. Porque ela promove a seletividade da delinquência e dos delinquentes das classes dominadas (preservando desse desprazer as classes dominantes). Dentro dos presídios já nasceram várias organizações criminosas (CV, PCC etc.). O crime se reproduz nos presídios. E é dos presídios hoje que são comandados muitos delitos (cf. Camila Dias). Também para eles é que estão sendo mandados vários “donos do poder” (hoje odiados pelo povo, em virtude da corrupção).

A prisão, assim, está sendo relegitimada (com o processo do mensalão e da Operação Lava Jato). Mas como “universidade do crime”, não respeita absolutamente nada do direito vigente. Pertencem ao reino do Estado policialesco. Em regra, não têm nada a ver com o Estado de Direito. É a lei do mais forte. Se todos se matarem dentro dos presídios (incluindo os donos de empreiteiras), o Estado não vai se chocar, nem tampouco uma boa parcela da sociedade. Os presídios deixarem de ser local de disciplina (do corpo humano). Hoje são jaulas de inocuização (só encarceramento) com altíssimos níveis de atrocidade, crueldade e desumanidade. Tudo isso com o apoio da oclocracia (governo influenciado pelas massas rebeladas).

Recorde de apreensão de drogas

Segundo levantamento realizado pelo competente e atualizado site Fiquem sabendo, 4.285 flagrantes de drogas foram feitos no interior dos presídios paulistas, em 2014. Maior número desde 2009. Houve aumento de 15% relação a 2013. De acordo com site, entre 2009 e 2014, a quantidade de drogas apreendidas aumentou 19%. Veja a reportagem completa no site: http://bit.ly/1UzSKWW

Maior número de celulares apreendidos

Outro levantamento do Fiquem Sabendo revela que, entre janeiro e maio de 2015, foram apreendidos 6.081 telefones celulares nos presídios do Estado de São Paulo. Esse número representou um aumento de 12,86% em relação aos 5.388 aparelhos retirados das unidades prisionais no mesmo período de 2014. Um celular apreendido a cada 36 minutos. Dos 6.031 celulares apreendidos neste ano, 96 (1,59%) foram apreendidos com visitantes. Outros 99 (1,64%) foram retirados das correspondências endereçadas aos presos. A grande maioria das apreensões acontece dentro das unidades: 2.035 dentro das celas e 2.378 no interior das unidades, mas fora das celas. Somadas, esses dois números representam 73,17% do total de telefones apreendidos. O mundo da internet é o sonho de consumo de muita gente, incluindo os presos (que governam muitos crimes de dentro dos presídios). Veja a reportagem completa aqui: http://bit.ly/1O5g9LL

SP tem que construir um presídio por mês

De acordo ainda com o Fiquem Sabendo, que é editado pelo jornalista Léo Arcoverde, entre janeiro e junho de 2015, a Secretaria da Administração Penitenciária paulista recebeu 4.935 presos oriundos das unidades carcerárias da Secretaria da Segurança Pública e da Polícia Federal. Nesse período, a população carcerária estadual passou de 220.030 para 224.965 presos, o que significou um aumento na população carcerária estadual de 2,2% em apenas seis meses. São Paulo, que conta atualmente com 163 presídios, recebeu em média 823 presos mensalmente, ou seja, 27,42 presos diariamente. Segundo o Fiquem Sabendo, esse número representa o crescimento populacional carcerário diário, ou seja, a diferença entre o número de presos que deram entrada e os que deixaram os presídios estaduais de São Paulo.

Importante salientar que, ainda conforme a reportagem, como o modelo atual das prisões construídas pelo governo do Estado de São Paulo possui a capacidade de abrigar 768 detentos, o ritmo de encarceramento de hoje exige a construção de um presídio a cada mês. Se todo dinheiro investido em presídios e repressão fosse destinado à prevenção, o Estado não estaria agindo quando nossa vida ou nosso patrimônio já se foi. Segue o link para a reportagem completa: http://bit.ly/1eBRUc1

Homicídio é o crime que mais prende policias em São Paulo em 2015

De acordo com outro levantamento do site Fiquem Sabendo, quarenta e cinco policiais militares foram presos no Estado de São Paulo, entre janeiro e maio deste ano, por homicídio. Esse número representa um aumento de 25% na comparação com as 36 prisões de acusados com este perfil, realizadas no mesmo período de 2014.

A cada 42 horas um policial militar deu entrada no Presídio Militar Romão Gomes, na Água Fria, zona norte de São Paulo, no período. Os 85 policiais militares presos nesse período representam 0,09% do efetivo da corporação, que hoje é de cerca de 86 mil policiais.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com