;

NOTÍCIAS

In:

Advogada, vítima de acidente, denuncia Hospital Santa Rita por omissão no socorro; Veja vídeo

Por Redação

Dra. Isabel Rodrigues

A advogada palmeirense Maria Isabel Rodrigues da Silva, vítima de acidente de moto na tarde deste domingo (24) na zona urbana do Município denunciou em um grupo de whatsaap que teve o atendimento médico negado pelo ortopedista plantonista do Hospital Regional Santa Rita em Palmeira dos Índios.

A advogada que foi transferida com fratura na perna para a Unidade de Emergência do Agreste em Arapiraca gravou áudios e vídeos de seu celular onde relatou a omissão médica do profissional de nome Diógenes que atendia no hospital palmeirense.

“Soube que ele disse que não ia se responsabilizar pela minha vida”, disse Isabel.

A advogada – mesmo com muitas dores devido à fratura – contou que os profissionais que a atenderam na UE do Agreste em Arapiraca se mostraram surpresos com o fato da recusa do Hospital  palmeirense em atendê-la.

A 3ª Subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil, através do Presidente da comissão de Direito Médico Flávio Barbosa, vai acionar o Hospital Santa Rita, pedindo esclarecimentos sobre a atuação do médico de nome Diógenes, que segundo a advogada Isabel Rodrigues recusou o atendimento.

Veja o vídeo

Médico responde

De início, quero registrar que, ao tomar conhecimento do conteúdo da matéria publicada no dia 25/02/2019 e que, infelizmente, envolve meu nome no âmbito profissional, não poupei esforços em viabilizar junto ao próprio site o exercício de meu direito à resposta, que me foi garantido prontamente e, por isso, reverto meus cumprimentos. O médico Diógenes Figueiredo ao tomar conhecimento da veiculação da denúncia feita pela advogada, solicitou espeaço na TRIBUNA DO SERTÃO para dar sua versão.

“Destaco que, ao agir desta maneira, não o faço por mim, apenas, mas pela necessidade de resguardar a categoria médica em situações semelhantes, que não deve se omitir no esclarecimento de fatos oriundos de informações desencontradas que, fatalmente, podem vir a macular a imagem de qualquer profissional e, também, da categoria médica como um todo perante a sociedade.

O caso relatado na reportagem merece alguns adendos, visto que à paciente não foi negado qualquer tipo de socorro ou atendimento médico. Explico. A paciente, que sofrera um acidente automobilístico (queda de moto), foi socorrida em um primeiro momento perante a Unidade de Pronto Atendimento do Município de Palmeira dos Índios/AL, local onde fora realizado exame de Raio-X e, posteriormente, encaminhada até o Hospital Santa Rita, onde prestava meu plantão.

Pois bem, esclarecido este primeiro ponto, afastando aqui qualquer relação de negligência com o estado de saúde da senhora vitimada pelo ocorrido, entendo pertinente relatar que o Hospital Santa Rita não recebe pacientes que sofrem traumas de alta energia.

Diante deste cenário, ao receber a paciente vítima de queda de moto, pude analisar o Raio-X, que apontava fratura de fêmur distal, bem como avaliado o caso. Diferentemente do que fora apontado, não faltou de minha parte preocupação com o bem-estar da vítima, tanto assim o é que, diante da impossibilidade de recebê-la no hospital, que, sim, conta com ortopedista, mas que não possuía os profissionais especializados o atendimento completo, tampouco dos equipamentos capazes de fornecer diagnóstico mais especializado sobre a condição da paciente, orientei que fosse encaminhada à Unidade de Emergência do Agreste, que goza de reconhecida estrutura e capacidade para casos do tipo, visto que esta é a prática comum adotada não só pelo Hospital Santa Rita, mas por todas as instituições hospitalares de menor porte.

Registro que não desconheço que a negligência médica caracteriza-se pela inação, indolência, inércia ou qualquer outro ato omissivo, mas não fora está a formação deste profissional e jamais será sua conduta no exercício de sua profissão”.

Atendimento em Palmeira

Mesmo com o relato do médico alegando que o Hospital Santa Rita não atendia pacientes com traumas desse porte, a advogada Isabel Rodrigues foi deslocada de Arapiraca (de onde fez a denúncia) e atendida novamente em Palmeira dos Índios no Hospital Santa Rita, onde na quinta-feira, 28, fez a cirurgia devida com sucesso.

No domingo, 3 de março, Isabel teve alta e já encontra-se e sua residência convalescendo do acidente.

 

Atualizada em 3 de março, às 15h

Compartilhe:
Tags: ,,,,,

Comente no Facebook

1 Comentário

  • Jorge de Araujo Vieira disse:

    Já estar na hora do povo abrir a boca.contra essa máfia médica chamada Hospital Regional Santa Rita.Essee povo da classe médica pinta e borda e ninguém toma uma atitude.Acorda povo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *