;

NOTÍCIAS

In:

Ibovespa ganha força com dados do Caged e fecha em alta de 0,58%

Dados positivos da geração de empregos em agosto, aliados ao maior apetite ao risco no exterior, se sobrepuseram ao desconforto com o atraso na tramitação da reforma da Previdência e garantiram um dia de ganhos para o mercado acionário local. Após certa instabilidade pela manhã, quando se aproximou do piso dos 103 mil pontos, o Ibovespa se firmou em terreno positivo ao longo da tarde e, com uma arrancada na reta final dos negócios, fechou o pregão em alta de 0,58%, aos 104.480,98 pontos, na máxima.

O mercado acionário doméstico iniciou o dia sob o impacto negativo dos ruídos políticos em Brasília, na esteira do adiamento da votação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e da derrubada de parte dos vetos do presidente Jair Bolsonaro à lei de abuso do poder. Do exterior, vinham preocupações com a possibilidade de impeachment do presidente americano, Donald Trump, que teria solicitado ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, que investigasse o ex-vice-presidente Joe Biden, pré-candidato do partido democrata à eleição presidencial de 2020.

O Ibovespa saiu do vermelho ainda pela manhã com a alta das bolsas americanas. Além de a divulgação da transcrição de conversa entre os presidentes americano e ucraniano não trazer evidências claras de pressão para investigar Biden, Trump tratou de afagar os mercados ao dizer que um acordo comercial com a China “poderia acontecer antes do que se pensa”.

“Como não há uma sequência de notícias positivas aqui dentro, o mercado opera muito com base no exterior. Há muita incerteza em relação à guerra comercial e qualquer declaração do Trump acaba afetando as bolsas”, afirma Pedro Galdi, analista da Mirae Asset, ressaltando que o atraso na tramitação da reforma da Previdência no Senado provocou mal-estar entre os investidores.

O índice se firmou em alta no meio da tarde, com a divulgação de números surpreendentes de criação de vagas de trabalho no Brasil e uma aceleração da bolsas americanas, após Trump voltar a negar irregularidades em sua conversa com o presidente da Ucrânia. Dados do Caged mostraram que o saldo líquido de geração de empregos formais em agosto foi de 121.387, acima da mediana das estimativas na pesquisa Projeções Broadcast, de 98.881.

Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença, observa que, a despeito da alta expressiva das bolsas em Nova York e do alívio no câmbio, o Ibovespa não conseguiu tocar novamente os 105 mil pontos – um atestado de que não há ainda uma tendência clara de alta que leve o índice a buscar novos recordes no curto prazo. “O Caged positivo ajudou o mercado, mas ainda é pouco. Não é um indicador sólido de volta do crescimento. O mercado está sem força para uma arrancada”, diz.

Entre as blue chips, destaque para o avanço de 1,98% do papel ON da Vale – a oitava maior valorização entre as ações que compõem a carteira teórica do índice -, em meio à decisão do Tribunal Superior da Inglaterra de que a companhia pode prosseguir com a execução da sentença arbitral de US$ 2 bilhões, que foi obtida contra a BSG Resources (BSGR) no país europeu.

Autor: Antonio Perez
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com