;

NOTÍCIAS

In:

Curso orienta servidores do HEA e da Central de Triagem de Arapiraca sobre atendimento a pessoas com deficiência

Por Josenildo Torres com Tony Medeiros

Curso ocorre no Núcleo de Educação Permanente do Hospital de Emergência do Agreste. Fotos: Tony Medeiros

Servidores do Hospital de Emergência do Agreste (HEA) e da Central de Triagem para Covid-19, em Arapiraca, participam da capacitação “Atendimento acessível e humanizado à pessoa com deficiência no contexto da pandemia”. Todos os servidores, incluindo os terceirizados, participam das atividades. Eles são divididos em qautro turmas para dois dias de aula no HEA.

A capacitação foi provocada pelo aumento na demanda de pacientes que procuram os hospitais públicos do Estado e as Centrais de Triagem. A atividade é promovida pelo HEA, por meio do Núcleo de Educação Permanente (NEP), em parceria com a Supervisão de Cuidados à Pessoa com Deficiência (Suped) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Katiúscia Viana, supervisora do Suped da Sesau, destaca que o curso aborda os tipos, definições e orientações sobre o atendimento

Na classificação das deficiências estão a física ou motora, auditiva, visual e intelectual, acrescentando o Transtorno do Espectro Autista (TEA). “Neste curso nós falamos sobre os tipos, definições e questões específicas, com orientações de atendimento para todos os servidores do HEA e da Central de Triagem para Covid-19”, disse Katiúscia Viana, supervisora do Suped.

Ela explicou que a demanda tem crescido nos últimos meses e que o curso ajuda o servidor a entender melhor cada situação e com mais qualidade. “Quando o acolhimento vem em forma de entender e se comunicar melhor, deixa o paciente mais aberto para o atendimento, mais seguro e tranquilo para as próximas etapas de atendimento dentro da unidade de saúde. E este conhecimento também reflete na atitude de cada servidor e em como ele se sente no dia a dia do trabalho”, salientou a supervisora.

Fonoaudióloga Luísa Valença, apresenta Prancha de Comunicação, que é um tipo de comunicação com pictogramas

Prancha – Como a preocupação é melhorar a comunicação entre pacientes com deficiência e servidores do HEA e da Central de Triagem de Arapiraca, o curso mostra a Prancha de Comunicação Alternativa. De acordo com a fonoaudióloga Luísa Valença, a prancha é um tipo de comunicação com pictogramas (figuras), utilizada em casos de prejuízo na comunicação oral.

“São imagens que se referem a informações sobre os pacientes, inclusive aqueles com sequelas de Covid-19, no contexto da hospitalização. O método é voltado para que exista entendimento e a comunicação seja acessível e humanizada”, garante Luísa.

Curso, que também é voltado para os técnicos da Central de Triagem para Covid-19, visa humanizar, ainda mais, a assistência aos usuários

Para a gerente-geral do Hospital de Emergência do Agreste, Bárbara Albuquerque, as atividades de treinamento e orientação têm muito conteúdo importante para todos os profissionais do hospital.

“Nosso atendimento é reconhecido pela democratização das informações e humanização no trato com pacientes e acompanhantes. Mas, é sempre importante podermos garantir mais treinamentos para os servidores. Eles ficam mais seguros e passam esta segurança para os pacientes”, disse Bárbara Albuquerque.

Para o coordenador do NEP, Jean Marinho Vital, outros cursos serão oferecidos para os servidores. “Já estamos fechando parceria para mais cursos, treinamentos e oficinas para os servidores do Hospital de Emergência do Agreste”, confirmou Jean.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *