;

NOTÍCIAS

In:

Deputado Ronaldo Medeiros participa de reunião com Sinteal na Assembleia

Por Assessoria

O documento propõe aumento de 40% no salário inicial dos professores da rede pública, além de incluir secretários escolares

O Plano de Cargos e Carreiras (PCCS) dos servidores da educação é uma demanda antiga da categoria. Abrindo mais caminhos para o diálogo, o deputado estadual Ronaldo Medeiros (MDB) tem recebido o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) para reuniões. Com a entrega do documento à Assembleia Legislativa de Alagoas, o projeto tramitará em regime de urgência.

Em reunião nesta quinta-feira (21), onde além de Medeiros participaram os deputados Paulo Dantas, presidente da comissão de Constituição e Justiça, e Jó Pereira, presidente da comissão de Educação, o Sindicato levantou pontos que pedem que sejam levados em consideração durante as discussões na casa.

“Investir na educação é o caminho para se construir uma sociedade mais justa e mais igualitária! O deputado Paulo Dantas informou hoje que na próxima semana haverá uma reunião conjunta de três comissões para que o projeto possa ser discutido. Este plano representa avanço e valorização para esses profissionais. Continuarei trabalhando pela categoria”, expõe Ronaldo Medeiros.

O documento entregue pelo governador Renan Filho ao presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, deputado Marcelo Victor, e ao deputado Paulo Dantas, no último dia 15, propõe o aumento em 40% do salário inicial dos profissionais da rede pública – com isso, o professor iniciará a carreira com R$4.500, podendo chegar, para àqueles que possuírem doutorado, a R$7.172.

“A conversa foi bastante positiva, avançamos na discussão que foi aberta nessa casa pelo deputado Ronaldo Medeiros, que vem interferindo nessa causa e a gente já agradece. E esperamos que tenhamos êxito e consigamos a valorização para todos os trabalhadores e trabalhadoras em Educação”, pontua Maria Consuelo, presidente do Sinteal.

A previsão é que na próxima semana aconteça a reunião entre as comissões de Constituição e Justiça, Educação e Orçamento e Finanças, onde deve ser estabelecido um relator único para o projeto.


Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *