;

NOTÍCIAS

In:

Ivan Barros: memória e política na versão de um historiador de 78 anos

Por Redação

Ivan Barros

Ivan Barros completou este domingo, 24 de outubro, 78 anos de idade. Ele tem mais de 32 livros publicados e é fundador do jornal Tribuna do Sertão.

Líder estudantil, radialista, apresentador de programa de auditório, escritor, vereador mais votado da história com mais de 20% dos votos do eleitorado em 1966, candidato a deputado estadual em 1971 também o mais votado até hoje da história, jornalista, advogado, promotor de justiça e apaixonado por sua terra Palmeira dos Índios.

Entre 1971 e 1979, foi repórter da antiga revista “Manchete”, no Rio de Janeiro, onde cobriu as mortes de Juscelino Kubitschek (“Eu fui o primeiro jornalista a chegar ao local do acidente”) e de Carlos Lacerda (“Ouvi uma enfermeira dizendo que haviam dado uma injeção no Lacerda, mas o pessoal da revista não me deixou publicar a informação”).

Quando passou num concurso para Promotor de Justiça, Barros deixou a carreira de jornalista de lado e retornou a Alagoas.

Mas o que ele nunca abandonou foi o apreço, alimentado desde a juventude, pela obra de Graciliano Ramos.

Em sua casa, guarda com carinho uma série de fotos e objetos ligados ao ilustre ex-prefeito da cidade, com destaque para os exemplares originais do jornal “O Índio”, editado em Palmeira dos Índios na década de 20,
com participação do escritor. Ivan tem também três livros lançados sobre a trajetória de Graciliano.

– “Ele deixou uma influência enorme com seus relatórios como prefeito.

Mas não foi um político como os outros. Ele próprio escreveu que, se disputasse a reeleição, não teria mais de 10 votos.

Ainda assim, é lembrado como bom prefeito pelo zelo que tinha com o erário. Há quem diga que a Lei de Responsabilidade fiscal nasceu por inspiração dele” – conta Barros, que não chegou a conhecer Graciliano.

– “Ele foi um patrimônio da nossa cidade. Anos depois de sua morte, tentei movimentar a imprensa para trazer seus restos mortais para Palmeira dos Índios, mas não consegui”, relata Ivan Barros.

Inauguração do Centro de Cultura de Palmeira está prevista até janeiro

Aos 78 anos e incansável. Ivan Barros prepara-se agora para um executar um dos projetos mais destacados de sua vida. A inauguração do Centro de Cultura de Palmeira dos Índios. Dono de um acervo histórico e de memória inigualável – fruto de suas
pesquisas por toda sua vida, o escritor palmeirense foi mais longe e adquiriu um imóvel com recursos próprios situado na Rua Otávio Cavalcante, no Centro da cidade, próximo ao novo Fórum e ergueu ali, um local de cultura com direito a auditório para 80 pessoas.

Centro de Cultura

A ideia que já acalentava há tempos, foi incentivada por Francisco Sales (falecido em 2019), seu amigo e confrade da Academia Alagoana de Letras, que em carta impulsionou Ivan a realizar este sonho para todos os palmeirenses.

O imóvel foi reformado e em breve estará oferecendo ao cidadão palmeirense e aos turistas um espaço de memória e cultura.

O Índio

Outro projeto de Ivan Barros em andamento é a publicação da coleção do Jornal “O Índio”, com fotografias da época – que foi fundado por Padre Macedo e que teve colaboradores ilustres como Odon Braga e o mestre Graciliano Ramos. O livro terá edição de luxo.

Ivan conta ansioso que conta as horas para inaugurar o centro de cultura palmeirense. “Estamos ainda atravessando a pandemia, mas tomaremos todos os cuidados e seguiremos todos os protocolos exigidos para a abertura até janeiro desta casa de cultura para o palmeirense”.

Daqui desta Tribuna, prestes a completar 26 anos de existência, as homenagens dos que fazem este jornal a seu incansável fundador.

Parabéns, grande guerreiro das letras alagoanas.

Compartilhe:
Tags: ,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *