;

BLOGS

Ex-prefeito diz que será candidato em Marechal com o apoio dos Calheiros

No começo da semana, o ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus (MDB), esteve reunido com o governador Renan Filho (MDB) no Palácio República dos Palmares.
Dos corredores Palaciano, Matheus saiu com a  certeza de que terá o apoio dos Calheiros para disputar – pela terceira vez – à Prefeitura deodorense.
Pelas redes sociais, o ex-prefeito (2009-2012 e 2013-2106) se certificou – após o encontro com RF – que poderá lançar candidatura ao cargo que já ocupou por duas vezes consecutivas.
“Na tarde de ontem (25), estivemos em um almoço, a convite do governador Renan Filho, falamos sobre o MDB, que é o partido dele que, por sua vez, me garantiu apoio pessoal e da legenda, caso eu pretenda ser candidato a prefeito de Marechal Deodoro nas eleições de 2020. Não só ele como o senador Renan Calheiros, que também assegurou a força do partido, caso decida concorrer ao pleito municipal do próximo ano, aqui em Marechal”, escreveu.
Emedebista de carteirinha, Cristiano Matheus conhece de perto os problemas do município deodorense, sabe que boa parte da população anda insatisfeita com a administração de Cláudio Roberto Ayres da Costa, o Cacau (PSD), e sua trupe de ‘forasteiros’; tem pesquisas em mãos e deve atender ainda ao chamado dos aliados, amigos e correligionários para 2020.
“Não seria uma novidade concorrer pelo 15, o partido do governador, que sempre foi a minha bandeira. Por ele, fui eleito e reeleito como prefeito da primeira capital do estado. Eu levei o governador para Marechal, apresentei ao povo deodorense o nosso governador, que sempre apoiou, e reforça essa parceria com o aceno muito positivo, acerca de uma possível candidatura nossa, à Prefeitura de Marechal Deodoro”, reforçou o ex-prefeito.
Portanto, Cristiano Matheus no páreo da eleição do próximo ano é, segundo fontes do Blog Kléverson Levy, um tormento na vida de Cacau e equipe se houver ainda uma união possível com José Gilvan Ribeiro de Almeida Filho, o Júnior Dâmaso. Será? Basta analisar a votação de 2016 que teve uma diferença de oito (8) votos.
Quanto ao prefeito Cacau, carrega o lado positivo e negativo de quem está no Poder. Uma delas, inclusive, é a administração local que tem mais gente de fora – trabalhando – ao invés de colocar pessoas de Marechal Deodoro.
Aliás, MD hoje é conhecida como terra das “Amaroks e/ou caminhonetes” devido ao desfile que fazem alguns comissionados da Prefeitura.
Além disso, Cacau esqueceu alguns aliados que foram essenciais no apoio da eleição de 2016, continuou com obras que estavam em andamento na gestão anterior e não conseguiu – em três anos de mandatos – aumentar a popularidade na cidade.
Por fim, do “chocolate” que tem em mãos, Cacau divide apenas com a turma que não é deodorense e aqueles que hoje são os seus (dele) “amigos” desde que o cacau subiu de preço, em janeiro de 2017, e pode encarecer ou ficar mais barato, após o resultado de outubro de 2020.
Redes sociais: @kleversonlevy e @blogkleversolevy
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *